terça-feira, 30 de setembro de 2014

Existem espíritos de adultério, prostituição, embriaguez e vícios?

Por Leonardo Dâmaso

Uma crença que foi amplamente difundida pelo movimento de batalha espiritual americano a partir da década de 60, e que se tornou muito popular no meio evangélico pentecostal e neopentecostal são os famosos "espíritos do adultério, de prostituição, da embriaguez e dos vícios". É muito comum vermos pastores e cristãos pentecostais e neopentecostais com o hábito de orar no seu dia a dia caso se deparem com alguma situação que seja necessário a “repreensão ou a amarração” destes “espíritos malignos”. Vemos também nos “cultos de libertação”, “orações de guerra” em forma de “chavões ou jargões”, do tipo: espírito do adultério, de prostituição, da embriaguez e dos vícios - saia desta vida para nunca mais voltar!

Quem nunca presenciou, viu e ouviu alguém fazer uma “oração” desse tipo? Acredito que todos nós! Todavia, se estudarmos as Escrituras, especialmente o Novo Testamento diligentemente e meticulosamente, iremos perceber que não existe um texto sequer que aponte que adultério, prostituição, embriaguez e vícios de todo o tipo sejam espíritos malignos. Em contrapartida, os mesmos são classificados por Paulo em Gálatas 5.19-21 como “obras da carne”, isto é, pecados oriundos da nossa própria natureza pecaminosa, e não espíritos malignos (para inveja, que também é um pecado, e não um espírito maligno, veja 1Pe 2.1).

Augustus Nicodemus Lopes corrobora que os demônios denominados pela batalha espiritual como sendo demônios da lascívia, do ódio, da vingança, da embriaguez, da inveja e assim por diante, não aparecem no Novo Testamento. Essas coisas são, na verdade, as obras da carne mencionadas por Paulo em Gálatas 5.19-21. A solução para esses pecados não é expulsar demônios que supostamente os produzem, mas arrependimento, confissão e santificação.

Senão vejamos o que Tiago diz acerca deste assunto.

"Cada um, porém, é tentado pela própria cobiça [e não por demônios primariamente, porém estes podem influenciar na tentação em segundo plano] sendo por esta arrastado e seduzido. Então a cobiça, tendo engravidado, dá à luz o pecado; e o pecado, após ter-se consumado, gera a morte" - Tiago 1.14-15 (NVI)

Paulo, por sua vez, escreve:

"Não sabem que, quando vocês se oferecem a alguém para lhe obedecer como escravos, tornam-se escravos daquele a quem obedecem: escravos do pecado que leva à morte, ou da obediência que leva à justiça?" Romanos 6.16 (NVI)

Vejamos ainda outro exemplo descrito por Paulo que irá elucidar melhor a nossa compreensão.

"Por toda parte se ouve que há imoralidade entre vocês, imoralidade que não ocorre nem entre os pagãos, a ponto de alguém de vocês possuir a mulher de seu pai. E vocês estão orgulhosos! Não deviam, porém, estar cheios de tristeza e expulsar da comunhão aquele que fez isso? Apesar de eu não estar presente fisicamente, estou com vocês em espírito. E já condenei aquele que fez isso, como se estivesse presente. Quando vocês estiverem reunidos em nome de nosso Senhor Jesus, estando eu com vocês em espírito, estando presente também o poder de nosso Senhor Jesus Cristo, entreguem esse homem a Satanás, para que o corpo seja destruído, e seu espírito seja salvo no dia do Senhor" 1 Coríntios 5.1-5 (NVI)

Vemos que, não somente nas cartas de Paulo, mas em todo o Novo Testamento, os escritores bíblicos enfatizam muito mais a questão de pecados da carne ao invés de espíritos malignos ou possessão, haja vista que existem casos de possessão e de espíritos malignos atuando na vida de uma pessoa. Conforme é dito no texto, um jovem que fazia parte da igreja de Corinto estava mantendo relações sexuais com a mulher de seu pai, isto é, a sua madrasta, diz Paulo.

Apesar deste pecado, o apóstolo não disse que este jovem estava possuído ou influenciado pelo espírito da imoralidade, e, tampouco, ordenou que fizessem uma oração de libertação com imposição de mãos neste jovem, mas que o entregassem a Satanás; ou seja, que ele fosse expulso da comunhão da igreja para ser disciplinado por Deus através de Satanás, se arrependesse do seu pecado e retornasse a fé. A imoralidade ou a fornicação, contudo, é um pecado grave contra o nosso corpo, que é o templo do Espírito Santo (veja 1 Cor 6.18-20).

Entretanto, apesar do adultério, prostituição ou fornicação, embriaguez, vícios e inveja serem pecados da carne, contudo, a pessoa que prática estes pecados pode vir dar ocasião aos espíritos malignos para atuarem em sua vida, uma vez que eles [os espíritos malignos] podem, depois que a pessoa cedeu a sua vontade pecaminosa a estes pecados, influenciá-la e escravizá-la nestes e em outros pecados.

"Quando vocês ficarem irados, não pequem'. Apaziguem a sua ira antes que o sol se ponha, e não deem lugar ao diabo" Efésios 4.26-27 (NVI)

Concluímos, então, que, as supostas “orações de libertação” que muitos pastores e cristãos fazem expulsando os espíritos do adultério, prostituição, embriaguez e dos vícios, e o também famoso espírito da depressão [que é um transtorno ou uma doença mental, e não um espírito maligno] é antibíblico e, portanto, uma prática que deve ser diametralmente rejeitada.

Nota:

1. Augustus Nicodemus Lopes. O que vocêprecisa saber sobre Batalha Espiritual, pág 69. Fonte: Bereianos Poderá também gostar de:

Polícia investiga suspeita de estupro de cinco crianças por pastor na PB

Um homem de 36 anos que se diz pastor de uma igreja evangélica está sendo investigado pela Polícia Civil como suspeito de ter estuprado pelo menos cinco crianças, entre elas as três filhas dele, na cidade de Boqueirão, no Agreste paraibano. O homem está preso suspeito de posse ilegal de armas, na cadeia pública do município.

Em entrevista à TV Paraíba, uma das filhas do suspeito, uma adolescente de 16 anos, contou que desde os cinco anos era agredida fisicamente e abusada sexualmente pelo pai. “Uma vez ele tirou a minha roupa e me agrediu porque eu não quis. Daí começou a me ameaçar e me bater”, disse a jovem.

Segundo a adolescente, o pai também abusava das irmãs dela, de 11 e 12 anos. Elas moram em Boqueirão e a jovem disse que quando era mais nova contou à mãe o que acontecia com as três, mas o pai a mandou para o Rio de Janeiro para morar com a avó. “Ele me mandou para o Rio porque eu tinha decidido contar tudo para a polícia. Só que ele me ameaçou logo depois que eu tinha contado para minha mãe. Disse que se alguém mais soubesse ele ia me matar e matar minha mãe”, contou.

A situação das jovens só foi denunciada ao Conselho Tutelar no dia 28 de Agosto deste ano, depois que a mãe de uma outra menina, de oito anos, ouviu da filha que tinha sido tocada pelo homem. A menina tinha saído de casa com as filhas do suspeito para ir ao culto em uma igreja evangélica da cidade. “Ela falou que estava sentada e ele começou mexendo nas pernas dela, alisando, até chegar nas partes íntimas, então apertou”, disse a mãe da criança em entrevista à TV Paraíba. A menina também contou outra situação: “ele pegou no meu rosto, apertou e me fez beijar ele à força”.

O suspeito morava no andar superior ao local onde funcionava a igreja em que ele era pastor. Pelo menos cinco crianças e adolescentes que frequentavam a mesma igreja deram declarações contra o homem. “O caso já está sendo acompanhado pela justiça e o suposto agressor está em prisão preventiva”, disse o conselheiro tutelar Valdeildo da Costa.

O delegado responsável pelo caso, Cícero Pereira, não quis gravar entrevista, mas confirmou que todas as meninas foram submetidas a exames de corpo de delito e que o suspeito está preso por posse ilegal de arma, uma vez que a polícia encontrou duas espingardas na casa dele. Cícero disse também que este caso corre em segredo de justiça.

***

Fonte: G1 Paraíba.

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Ninguém faz ideia... (Música, mundo e mais)

Por que não devemos "abandonar" e deixar de dialogar com as artes e música secular? A resposta, você notará nesse vídeo.
   

***

Arte de Chocar.

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Som da Graça: Amor Incondicional

Há quem diga que o amor não existe; o que existe são expressões de amor. Se demasiado humanos, melhor é que da razão fujamos para o abrigo da essência incompreensível do existir (Deus), assim deixaremos o próprio amor suvenir no teatro da vida… Para que aprendamos, mesmo sem que por completo vivamos…o que é o amor.O verdadeiro Amor conhecemos na abnegação de Cristo, mas em nossa vida prática ainda lidamos à base da troca; é o chamado “amor na versão normal”, o amor condicional, que sistematiza reações de afeto e devaneia os surtos de bondade.

Vale a pena se permitir a tirar cinco minutos desse mundo guloso e ser agraciado com esta obra de arte (de chocar), com Jorge Camargo.

***

Jorge Camargo é considerado um dos principais músicos cristãos da atualidade. É mestre em Ciências da Religião pela Universidade Mackenzie, compositor, tradutor e poeta. Possui 7 CDs individuais. Já fez shows no Brasil inteiro, EUA, Europa e África.

A TRAIÇÃO DO SER

Por Antonio Carlos Costa 

O homem pode negar a origem divina do seu ser, o que não pode é matar aquilo que Deus imprimiu no seu espírito no ato da criação. Aqui e ali ele se trai, vivendo como se Deus existisse e fazendo coisas de crente.

Ele pode chamar o amor de fenômeno químico-biológico, mas não consegue deixar de fazer seus poemas e chorar quando retoma nos braços o filho que julgava ter perdido para sempre. Ele pode declarar que não nasce definido. Primeiro, vem a existência e, depois, sai em busca da sua definição. Por isso, tudo é relativo e mera construção social da realidade.

Não são poucas as vezes, contudo, que nós cristãos damos graças a Deus pela sua vida, por o vermos fazendo exatamente aquilo que faríamos se estivéssemos em seu lugar, ou, até mesmo, o que é humilhante para a igreja, o encontramos lutando por aquilo que a igreja deixou de lutar. Nessas ocasiões, o vemos agindo como se tivesse lido o decálogo e dito amém para o nosso Deus.

***

Antonio Carlos Costa é pastor presbiteriano e presidente da ONG Rio de Paz. Escreve no Palavra Plena.

Pastor engarrafa o capeta em mais um show de pilantragem


Mais um vídeo de exorcismo #FAIL, onde o dito pastor engarrafa o capeta!! (...) e a insanidade não tem fim...