25
mar

Pastoreio Feminino – Por Augustus Nicodemus

por: Arte de Chocar


Bastante esclarecedor não é? Imaginem um relacionamento onde o homem é o cabeça no lar, mas ao entrar no templo vê sua esposa ser a líder. Alguns defendem o pastoreio feminino na pífia afirmação de que Deus não é machista. Pois é, Ele pode até não ser machista, mas para liderar a igreja, deu folga a mulher quanto a esta função, em contrapartida incumbindo outras de grande importância.

NÓIS NAS REDES! E AÍ, O QUE ACHOU? COMENTE!2


2 respostas para “Pastoreio Feminino – Por Augustus Nicodemus”

  1. Renan Alencar disse:

    Este comentário foi removido pelo autor.

  2. Renan Alencar disse:

    Pelo menos o papel de pregadora é perfeitamente cabível e legítimo à mulher. Lembrando, que “profecia” (como dom no novo testamento), é interpretar e pronunciar a palavra de Deus (e não a profetagem que acontece hoje), ou seja, é perfeitamente cabível biblicamente que uma mulher exponha um sermão.

    Quanto aos demais argumentos, creio que demonstram muito mais características culturais e históricas relevantes à época, do que princípios puramente teológicos e doutrinários.

    Não tenho certeza ou bases mais profundas para aprofundar a discussão, mas não teria problemas em ser pastoreado por uma mulher… afinal de contas, o que é pastorear? Não é estar junto, conversar, aconselhar? De certo modo, nossas mães não são pastoras em nossas vidas?!

Deixe uma resposta